23ª Festa do Livro da USP Virtual 8 de novembro de 2021 – Publicado em: USP – Tags: , , , , , , ,

Organizada anualmente pela Edusp desde 1999, a Festa do Livro da USP é um evento já tradicional na Universidade de São Paulo que procura aproximar editoras e leitores, oferecendo livros de qualidade a um preço especial.

Em 2021, a Festa precisa ser diferente novamente: sem aglomeração, sem os encontros com os amigos, mas com muitos
livros na sacola virtual. Acontecerá virtualmente entre os dias 8/11 e 15/11/21, uma festa virtual e, ainda assim, uma festa!

Começa nesta segunda-feira (8) a 23ª Festa do Livro da Universidade de São Paulo (USP). Pelo segundo ano consecutivo, devido à pandemia, o evento acontecerá de forma totalmente virtual e leitores do país inteiro poderão aproveitar os descontos de, no mínimo, 50% nas obras.

Este ano, a feira contará com a participação de 225 editoras, um aumento de aproximadamente 24% em relação à última edição. Além do maior alcance de público, o evento online também torna viável a oferta de catálogos mais amplos e diversos.

No caso da Edusp, organizadora da Festa do Livro, essa nova possibilidade refletiu em um crescimento de 69% nas vendas realizadas durante a semana da feira em 2020. A expectativa da editora é de que o número de exemplares vendidos nesta edição seja ainda maior, cerca de 20% a mais.

Segundo dados do Painel do Varejo de Livros no Brasil, divulgados pelo Sindicato Nacional dos Editores de Livro (SNEL) e pela Nielsen Bookscan Brasil, entre janeiro e setembro deste ano, foram vendidos cerca de 10,1 milhões de livros a mais no país do que no mesmo período de 2020.

O fechamento temporário de livrarias próprias da Edusp, por conta das medidas restritivas de combate à Covid-19, implicou em uma queda brusca no número total de exemplares vendidos pela editora no período dos nove primeiros meses do último ano.

Com a reabertura gradual, em 2021, a comercialização de obras pela Editora da USP no mesmo período teve um aumento de 58%, atingindo a marca de 76 mil livros vendidos. Apesar disso, esse número ainda ficou abaixo do registrado pré-pandemia.